Tati Aponte

“Renato Russo – o Musical” e a vida do cantor que marcou uma geração

Sexta feira, dia 04 de agosto, admito que fiquei muito envaidecida, o motivo? Fui convidada para ir em 3 estreias teatrais em São Paulo.

Isso me faz acreditar que ter feito este blog foi a coisa mais certa que fiz nos últimos tempos! Tem gente que gosta do que eu escrevo, e poder divulgar a cultura brasileira me dá um prazer inenarrável.

Eu não sou onipresente, né? Tive que escolher uma peça dentre as opções apresentadas, e optei por “Renato Russo – O Musical” .

A minha escolha tem um porque: sou muito fã da Legião Urbana! E, consequentemente, pelo vocalista que é um ícone do rock brasileiro.

Bruce Gomlevsky dá vida à Renato Russo nos palcos do Teatro Frei Caneca.

Quando falaram que seriam 2 horas de espetáculo, pensei : “Isso não é uma peça de teatro, isso é um show!“.

E foi exatamente isso que assisti, um show! E que show!

De talento, de atuação do Bruce Gomlevsky, de direção do Mauro Mendonça Filho, de dramaturgia da Daniela Pereira de Carvalho….enfim, um showzão de qualidade incomparável.

A minha escolha, certamente, foi a melhor que eu podia ter feito!

Por que Renato Russo era diferente dos demais?

Renato Manfredini Júnior, nome verdadeiro de Renato Russo, era um adolescente que vivia em Brasília e que tinha uma inquietude dentro de si fora do comum.

Como todo bom artista era empático ao sofrimento alheio, diferente dos meninos da sua idade que tinham outras preocupações.

Ainda que seu ciclo social não sofresse dos males que acometiam maior parte da sociedade brasileira, como desemprego, fome, saúde e educação precárias, ele sabia que estas eram as maiores dificuldades que o país enfrentava e jamais as ignorou.

Era, também, sensível às dores, anseios, angústias e valores de toda uma geração, e suas músicas ficarão sempre em destaque no cenário musical do Brasil por sua pungência e profundidade.

É engraçado observar que Renato Russo tinha certeza que teria uma banda de rock famosa e que sua passagem nesta vida não seria despercebida.  Ele falava com tal naturalidade que ele seria um cantor de uma banda conhecida, assim como um estudante de Direito diz que será Juiz daqui alguns anos.

Esta certeza pautou suas atitudes desde que tomou consciência de sua vocação e o levou a ser o artista maravilhoso que todos conhecemos.

Sobre Bruce Gomlevsky, Mauro Mendonça Filho e Daniela Pereira de Carvalho

Ver Bruce Gomlesvsky dar vida a Renato Russo é assistir todas as nuances da personalidade do cantor interpretadas por um ator de alto escalão.

Bruce Gomlesvsky merece todo reconhecimento por fazer um Renato Russo perfeito, desde a impostação da sua voz, sua consciência corporal e consciência social. Logo no início do espetáculo, quando ele começa a dançar igualzinho ao Renato, já percebemos que estamos diante de um ator excepcional.

E se músicas da Legião Urbana marcaram uma geração, os pensamentos e entrevistas dadas pelo Renato Russo são tão importantes quanto suas canções.

Condensar pensamentos e falas em um BOM texto de teatro  é um trabalho muito difícil! Mas foi desempenhado com perfeição por Daniela Pereira de Carvalho.

O texto é redondo e não possui falhas, não fica chato e tem pontos bem desenvolvidos.

Percebemos que houve um trabalho bem executado ali.

Ressalto, também, a direção do espetáculo, que está impecável. Que Mauro Mendonça Filho é um dos maiores diretores de TV da atualidade não temos dúvidas, mas não conhecia seu trabalho como diretor teatral.

Fiquei feliz e satisfeita com o que assisti!

Pontos Altos de “Renato Russo – O Musical”

  • A banda Arte Profana, que acompanha todo o espetáculo, é fantástica;
  • Bruce Gomlesvsky é um atorzão da nossa geração! Segurar um musical sozinho por 2 horas sem intervalo é uma tarefa árdua que ele desempenha com precisão. Vocês não vão se arrepender de ver este ator em cena;
  • A cena de Renato Russo concedendo entrevista depois de ficar famoso tem um TEXTO MUITO BOM!
  • O momento de “Pais e Filhos” com o carrinho de bebê no palco é uma cena sensível e poética! Jamais me esquecerei do que vi;
  • Adorei a versão de Strani Amore cantada na peça. Este CD “Equilíbrio Distante” marcou minha vida, por isso foi especial pra mim esta parte do espetáculo;
  • O envelope entregue para o Renato com o teste de HIV Positivo tem um recurso cênico impressionante;

Pontos Baixos de “Renato Russo – O Musical”

  • Infelizmente no dia que eu fui ao teatro tivemos um problema de som logo no inicio do espetáculo, as caixas estavam desreguladas e o som estava esquisito. Depois melhorou, mas ouvi “Perfeição” – uma das músicas que eu mais gosto – de forma estranha;
  • Da mesma forma que eu amei a parte de “Pais e Filhos“, eu fiquei incomodada com os textos que antecederam e sucederam a cena. Explico: pra mim aquilo foi claramente desenvolvido para falar bem do filho que Renato Russo teve. A rasgação de seda pelo herdeiro não ficou orgânica, além de nítido que houve um acerto para abordar o episódio do filho do Renato na peça. Não gostei!

Só isso, de resto eu recomendo e MUITO  a peça! O casamento entre Bruce Gomlevsky, Mauro Mendonça Filho e Daniela Pereira de Carvalho foi perfeito, enche os olhos de satisfação e faz o público querer mais…

E é só pedir que ele atende! O público não foi embora até cantar, junto com o ator, Faroeste Caboclo do inicio ao fim!

Soltamos o gogó e juntos dividimos nossa admiração pela banda e pelo cantor que marcaram uma geração! Ainda bem!

Força Sempre!


Renato Russo – O Musical

Sextas e Sábados às 21h00 e
Domingos às 20h00.
Local: Teatro Shopping Frei Caneca
Endereço: Rua Frei Caneca, 569 – 7º andar – Consolação
Telefone: (11) 3472-2229 / 3472-2230
Capacidade: 600 lugares

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 Comentários:
  1. Cássia

    Não sou fã de legião urbana, mas reconheço a importância do Renato Russo para o cenário da Cultura brasileira. O musical deve ser emocionante para os fãs.

  2. Lilian Farias

    Olá!
    Parabéns pelo convite. Fruto de um belíssimo trabalho no blog. Também admiro o trabalho do Legião, certamente, escolheria a mesma peça, mesmo sem saber as outras opções. Os pontos baixos que você citou são bem relevantes para mim, não gosto de rasgação de seda.

  3. Raíssa Zaneze

    Oi! Primeiro, parabéns pelo reconhecimento. Faço ideia da sua felicidade.
    Eu já vi esse ator interpretando o Renato em uma micro série que fizeram dele, em um programa especial e fique espantada como ele interpretou bem.
    Eu nasci pouco antes da morte, mas cresci ouvindo as músicas dela, porque meus pais são fãs. Fiquei super curiosa para curtir a peça/show.
    Parabéns pelo texto, beijos
    https://almde50tons.wordpress.com

  4. Pedro Beckett

    Olá! Gostaria de lhe dar os parabéns pelo RECONHECIMENTO! Para além disso escreveu um bom texto 🙂

  5. Ane Karoline

    Nossa, Tati! Eu não sabia de metade dessas informações. Eu vi o musical aqui em Brasília (acredito que seja o mesmo) e não sabia nada sobre a vida do Renato, rs. É tão bom ir ao teatro, né? Seu post está muito completo e esclarecedor! Parabéns. Voltarei sempre aqui.

  6. Analia

    Que legal!! Renato sempre será uma lenda mesmo.
    Pena que não moro na região par ir prestigiar este evento, mas adorei a dica!
    beiijinhos Tati

    Levando a Sério

  7. Mariana M

    Sempre gostei da musica o Renato Russo mas nunca procurei sabe mais afundo sobre ele, gostei do seu post é bem informativo

  8. Teofilo Tostes Daniel

    Tati,
    em primeiro lugar, que legal saber que seu blog tem tido essa (merecida) repercussão sobre a qual você fala no início desse texto! Parabéns, e vida longa a esse belo trabalho!!!
    Gostei muito da resenha. Lembro-me muito de ouvir Legião, desde criança, quando Faroeste Caboclo não parava de tocar nas rádios, ali entre 1987 e 1988. Sim, gosto do Legião desde os meus sete ou oito anos de idade. Ouvi muito na adolescência, nos anos 90. E hoje, embora não ouça tanto, suas músicas conseguem me encher de nostalgia, pois fazem parte do que me formou, do que formou meus ouvidos…
    Beijos! 🙂

  9. Kelly

    Assistir o musical no dia 04 de Agosto e tive a impressao de estar vendo o proprio Renato Russo meu idolo fiquei muito emocionada saí com vontade de ver de novo foi espatacular!

  10. andy

    Nossa que bacana, adoraria assistir a esse musical também. Deve ter sido maravilhoso e parabéns por estar sendo reconhecida e recebendo esses convites, tenho certeza de que merece.
    Abraços

  11. Hellen Cristhi

    Olá,

    Eu gosto bastante de ouvir as músicas do Renato, e gostei muito de conhecer mais acerca da vida desse grande ícone da música brasileira. Me interessei bastante pelo musical, e se viesse para Belém, certamente eu iria assistir.

    Beijos ;*

  12. Porre de Leitura e Livros

    Olá! Tudo bom?
    Nossa eu adoro ler, assistir e saber mais sobre o que foi a vida desse artista maravilhoso, as canções deles tocam no coração das pessoas até hoje.
    Queria poder ver nossa e como.
    Beijos, Joyce de Freitas

  13. Luiz Felipe

    Não sou fã de Legião Urbana, mas sei da importância que Renato Russo é a sua banda fizeram e ainda fazem na história da música brasileira. Parabéns pela sua resenha, e deve ser lindo mesmo o espetáculo sobre a vida dele.

  14. Alice Martins

    Olá, tudo bem?

    Só de ler o seu post me arrepiei por completa e meus olhos marejaram. Sou completamente fã do Renato e apaixonada pela Legião Urbana. Infelizmente, não tive o prazer de ver o Renato vivo e cantando, mas isso não me impediu de conhecer sua obra e me apaixonar por ela. Acho que eu iria me emocionar facilmente com esse musical. Espero que o mesmo possa rodar o Brasil!

    Beijos!

  15. Júlia Pereira

    Reconheço a importância do Renato Russo para o cenário da Cultura brasileira. Eu sou apaixonada por Legião Urbana, mas não chega a ser a minha banda favorita.
    Me interessei muito pelo post e musical rs.

  16. Débora Nascimento Anzelotti

    Fui assistir o musical no domingo dia 03.09, é fiquei encantada. Ri, chorei, cantei …simplesmente espetacular!

    • tatiaponte

      que delícia ler este comentário, Débora! Que bom que gostou!!!