Tati Aponte

A primeira grande exposição de Toulouse-Lautrec no Brasil

Aconteceu ontem a abertura da exposição Toulouse-Lautrec em vermelho no MASP e eu, que estava ansiosa demais para ver as pinturas do conhecido pintor francês, participei desta noite mais que agradável.

Acho que o que deixa a exposição mais charmosa é que ela acontece no MASP (Museu de Artes de São Paulo Assis Chateubriand)  localizado na Avenida Paulista. A Paulista, que possui sua importância no mundo financeiro e dos negócios, é também a que abraça as manifestações culturais e turísticas da cidade. A edificação moderna do museu contrastou, de maneira elegante, com as obras pré impressionistas de Lautrec.

Menção mais que importante a se fazer é que a exposição toda foi viabilizada com patrocínio exclusivo do escritório Pinheiro Neto Advogados. Outros escritórios poderiam se inspirar em ações semelhantes, né? A cidade agradeceria! Fica a dica, pessoal!

Sobre o pintor, sabemos que Lautrec era uma figura peculiar. Uma das primeiras vezes que ouvi sobre ele foi na música “Canção de Pedroca” do Chico Buarque. A letra tem uma parte assim: “Eu canto um samba de breque com Maurice Chevalier, bebo com Toulouse Lautrec no bar do Canxiguelê”, quando fui a Paris pela primeira vez eu cantarolava pra lá e pra cá esta música, hehehe.

A escola que estudei também mostrou algumas obras do pintor quando foram explicar a mudança artística durante a Revolução Industrial, mas nada com muita profundidade, não.

Depois, obviamente, vi o pintor no filme “Moulin Rouge”, aquela versão conhecidíssima com a Nicole Kidman. Toulouse Lautrec também está presente no filme e não poderia ser diferente, já que ele tinha profunda empatia com a vida boemia parisiense e foi frequentador assíduo dos cabarés do bairro de Montmatre, em especial do Moulin Rouge, local que tinha assento cativo e suas obras eram expostas por lá.

Toulouse-Lautrec não pintava apenas a vida boemia de Montmatre, ele também fazia cartazes promocionais de cabarés e teatros, uma atividade que revolucionou a publicidade do século XIX. Na exposição do MASP esta exposto o cartaz original “Moulin Rouge – La Goulue” e a obra foi uma das mais apreciadas pelos frequentadores durante a noite de abertura da exposição.

Outra coisa bemmm interessante é que a exposição traz cenas interiores das maisons closes, como eram chamados os bordéis da época, com suas trabalhadoras em momentos de descanso e intimidade, em seus afazeres cotidianos.

Em torno do tema da sexualidade, a mostra conta  com 75 obras, entre pinturas, cartazes e gravuras, que estão entre as mais emblemáticas do artista.

Se eu recomendo? Muito! Vale a pena visitar esta exposição sim! E se der, quando sair de lá aproveite o clima vá comer no La Tartine, um restaurante francês que não é meeeeega caro, tampouco cheio de firulas. É uma delícia, super tranquilo, no maior estilo Montmatre de viver.

Abaixo, uma prévia das obras que estarão expostas no MASP até o 1º de outubro! Não perca a oportunidade, hein?

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

TOULOUSE-LAUTREC EM VERMELHO

 

Abertura: 29 de junho, 20h

Data: 30 de junho a 1 de outubro de 2017

Local: 1º andar

Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP

Telefone: (11) 3149-5959

Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)

Ingressos: R$30,00 (entrada); R$15,00 (meia-entrada)

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados