Tati Aponte

Em “Os Guardas do Taj” emoção e obediência conduzem a trama de Rajiv Joseph

Em 1648 dois guardas imperiais fazem a vigília do Taj Mahal.

O mausoléu, erguido a pedido do príncipe Shaj Jahan será, finalmente, revelado à população.

Inclusive para os dois jovens guardas que não podiam observar o Taj Mahal antes da hora.

Ao amanhecer, aqueles que construíram a obra são convidados para conhecê-la

E ali, dentro de uma das mais incríveis obras já criadas pelo homem, uma das maiores carnificinas da história acontece.

Este é o pano de fundo da peça “Os Guardas do Taj“, uma obra linda que chega a São Paulo já no início do ano.

Os envolvidos na montagem brasileira

A peça é de autoria do dramaturgo americano Rajiv Joseph e as montagens realizadas nos Estados Unidos e Inglaterra foram muito elogiadas.

Por aqui, os guardas imperiais são vividos pelos atores Ricardo Tozzi e Reinaldo Gianecchini.

A peça tem a direção dos talentosíssimos Rafael Primot e João Fonseca.

Até onde devemos obedecer ou sonhar?

Babur (Ricardo Tozzi) é um guarda imperial de baixa patente.

Sua função é simples e sem nenhum glamour:  um vigia noturno que monta guarda em frente ao Taj Mahal para fazer a sua proteção.

Hamuyr (Reinaldo Gianecchini),  amigo de infância Babur é, também, vigilante noturno e juntos fazem companhia um ao outro.

A diferença que possuem? Suas personalidades.

Enquanto Hamuyr cumpre com extremo rigor suas obrigações, Babur deixa-se levar pelo seu lado sonhador e emocional.

Ambos desejam uma vida melhor e uma patente mais elevada no exército Imperial.

Mas suas diferenças afloram quando se veem obrigados a praticar um ato desumano em nome do príncipe.

A forma como Babur e Hamuyr encararão este crime definirá, de uma vez por todas, os rumos que esta amizade tomará.

É uma excelente peça que traz uma reflexão extremamente atual sobre escolhas, poder, subserviência e, também, amor.

Reynaldo Gianecchini e Ricardo Tozzi ( foto Francisco Cepeda/AgNews )

Por que ASSISTIR “Os Guardas do Taj”?

  1. A peça é muito bem feita, a trama bem costurada, não há enrolação desnecessária e os turns points são sensacionais;
  2. Os dois atores estão ótimos em cena, mas Gianecchini, realmente, está em sua melhor fase;
  3. Os figurinos da peça são muito lindos;
  4. As luzes e a trilha sonora conversam muito bem com a peça, é uma delícia assistir ao espetáculo com estes recursos tão bem executados.

Em suma, eu AMEI a peça! Adorei participar da conversa com o elenco, diretores e produtores, todos são muito simpáticos e fizeram uma montagem com muito carinho para nós.

Eles ficam em cartaz até o final de março aqui em São Paulo, depois daqui só Deus sabe!

Se você está aqui em São Paulo, não perca, não, viu?

Vale muito a pena!

Beijos!


OS GUARDAS DO TAJ
Teatro Raul Cortez (513 lugares)
Rua Dr. Plínio Barreto 285 – Bela Vista
Informações: 3254.1631

Sexta e Sábado às 21h
Domingo 18h

Duração: 75 minutos
Recomendação: 12 anos

 

Summary
Event
OS Guardas do Taj
Location
Teatro Raul Cortez,São Paulo,SP
Starting on
13 \13\e janeiro \13\e 2018
Ending on
1 \01\e abril \01\e 2018
Description
O ano é 1648 e dois guardas imperiais estão fazendo a vigília do Taj Mahal. O mausoléu, erguido pelo príncipe Shaj Jahan em memória de sua esposa preferida será, finalmente, revelado para a população de Agra, na Índia. Inclusive para os dois jovens guardas que estavam proibidos de falar ou de observar o Taj Mahal antes da hora. Ao amanhecer, aqueles que o construíram são convidados para conhecerem a obra finalizada. E ali, dentro de uma das mais incríveis obras já criadas pelo homem, uma das maiores carnificinas da história é cometida.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados