Tati Aponte

Infoxication – WTF?

Faz um tempo que eu postei uns stories no Insta dizendo que a cada dia que passava eu tinha a sensação que sabia menos sobre alguns assuntos que eu já julgava saber.

Cada dia que passa surge mais um ponto de vista, uma ideia ou um estudo sobre um assunto que pra mim já tinha o conceito certo na minha cabeça.

E para piorar, cada vez que eu busco me informar, a sensação de desatualização e culpa aumentam, e eu fico insegura na hora de dar um palpite ou emitir uma opinião.

Esta profusão de informações não é uma novidade, né?

É só observar o volume de informações que recebemos diariamente seja pelo Facebook, Instagram, WhatsApp ou outras redes.

Acontece que nós não temos o mesmo tempo para retê-las, analisá-las e entendê-las na sua totalidade.

Daí fica um enorme “telefone sem fio” entre as pessoas que mais estão preocupadas em passar a informação adiante do que de fato refletir sobre o assunto.

É a criação do cenário perfeito para a propagação de fake news. Todo mundo fala sobre tudo e não temos mais certeza do que é certo ou errado.

Uma loucura!

E toda esta incerteza, angústia, stress e cansaço gerado por conta do excesso de informação tem um nome: infotoxicação.

Um problema, aliás, já alertado pela Organização Mundial de Saúde e que tem alguns sintomas como:

  • entender um problema e tomar uma decisão sobre o assunto debatido,
  • baixa retenção sobre o assunto pesquisado,
  • dificuldade de concentração, etc.

E contra esta profusão de informações nós não nenhum remédio, apenas aprender a conviver nesta nova realidade.

Tentando deixar as coisas mais leve, eu estou diminuindo o foco nas informações mais gerais e me concentrando no contexto, buscando sempre fontes confiáveis para que eu esteja segura da veracidade das informações.

Além disso também seleciono o que quero ler, pois qualidade sempre foi e é melhor que quantidade.

2020 já está sendo um ano complicado, o melhor a fazer é selecionar com critério aquilo que alimentará nossa mente e energia.

Mais alguém aqui se identificou com os sintomas de infoxicação?

COMPARTILHE

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados