Tati Aponte

“Hebe, O Musical” fala de uma mulher corajosa e independente, além de ser um resgate da cultura popular brasileira

Entrou em cartaz, no teatro Procópio Ferreira, o espetáculo que conta a vida da apresentadora Hebe Camargo: “Hebe, O Musical”

Baseado no livro de Artur Xexéo e com direção de Miguel Falabella, a trajetória da apresentadora é uma verdadeira viagem de volta ao passado.

Dias antes a estreia, jornalistas, críticos e formadores de opinião lotaram o teatro Procópio Ferreira para a coletiva de imprensa com os responsáveis pelo espetáculo.

Todos queriam saber quais foram as motivações para realizarem esta peça.

“Entretenimento” foi a palavra escolhida pelo diretor Miguel Falabella para descrever o musical.

Artur Xexéo afirmou que o musical narra “os amores de Hebe, e em paralelo, contamos o que ela estava vivendo naquelas épocas”.

Quando perguntaram se o espectador da peça seria predominantemente mais velho, Miguel respondeu queHebe, o Musical” foi feito para todas as faixas etárias.

Foto de divulgação

Dito isso, lá fui eu ao Procópio, em sessão fechada para imprensa e convidados para, finalmente, ver a peça que, nas palavras de Miguel seriam “duas horas de puro deleite“.

E, de fato, o espetáculo é uma delícia.

Foi feito para agradar o povo, este que sempre esteve ao lado de Hebe.

 

A incrível Hebe de Débora Reis

Débora Reis é o nome da atriz que dá a vida a Hebe adulta no palco.

Sem comentários, gente…. Ela está radiante e impecável em seu papel!

Durante todo o tempo é IMPRESSIONANTE como sua voz cantando ou até mesmo falando é idêntica a de Hebe Camargo.

Mas, todos os méritos também à atriz Carol Costa, que faz Hebe na juventude.

O espetáculo foi elaborado com muito cuidado, pois ainda que o primeiro ato seja em preto e branco, conta com muito brilho, figurinos criativos, réplicas de roupas e joias que conseguem transmitir todo luxo e imponência da época de ouro da TV brasileira.

É incrível!

A sensação que temos é que estamos em casa e que a TV está sintonizada no programa da Hebe.

Outros artistas brasileiros aparecem durante o espetáculo, em especial a querida Lolita Rodrigues, que junto com Nair Bello formava com Hebe um trio de amizade inquebrável e sincera.

Quem aí não queria ser amiga deste trio? Eu juro que queria passar uma tarde todinha com estas três!

E Nair Bello?

Bom, conforme a jornalista Maria Luísa Barsanelli, em reportagem do dia 12 de outubro para a Ilustrada, do Jornal Folha de São Paulo, houve um ruído aí na comunicação entre os produtores com os herdeiros de Nair Bello, que não autorizaram o uso no nome da atriz no espetáculo.

Cena apresentada durante a coletiva de imprensa

Daí, Nair Bello ganhou a alcunha de “Hilda”.

Seria impossível contar a vida de Hebe sem abordar a amizade das três, gente.

Era tão divertido vê-las juntas… Recomendo vocês a assistirem a entrevista das três com o Jô Soares (tem no Youtube).

Hebe era corajosa, independente e muito, mas muito feliz!

A peça deixa claro que Hebe sempre foi uma mulher à frente de seu tempo, que fazia o que queria e como queria.

Como disse Miguel, “Hebe já era empoderada a muito tempo atrás”.

Viveu em ambientes machistas, onde apenas artistas homens conseguiam espaço.

Outra fotinho durante a coletiva…

Teve relacionamentos abusivos e mesmo assim nunca perdeu sua essência de garota espoleta, humilde e sonhadora.

E justamente por esta razão, ao contrário do que muitos pensam, sua vida não se resume apenas ao luxo e ao glamour, mas foi uma vida de sonhos e lutas.

Hebe é um exemplo para aquele que deseja, trabalha e alcança. Chora e ri, algumas vezes fica triste, mas a alegria é sempre predominante.

E por fim, esta é a mescla de sentimentos que Miguel Falabella, sua produção e todo o seu elenco conseguiram causar em quem estava assistindo.

E claro, muita saudade.

Beijos!

*Por Gabriela Almeida para o blog Tati Aponte


HEBE O MUSICAL

Teatro Procópio Ferreira (624 lugares)

Rua Augusta, 2.823 – Jardins

Informações: 3083-4475

Vendas: www.ingressorapido.com.br e tel.: 4003-1212.

Abertura da casa: 1 hora antes do início do espetáculo.

Quinta e Sexta às 21h | Sábado às 17h e 21h | Domingo às 18h

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comentários:
  1. Fátima Souza

    Nossa amiga assim que vi que iria estrear este musical já fiquei louca para ir assistir, agora então a vontade dobrou, parabéns pela resenha.

  2. Isadora Almeida

    Ele parece ser maravilho assim como a Hebe, deve ser realmente incrível, me deu uma vontade enormeee de ir, a Hebe com toda certeza é uma pessoa de ser aplaudida, adorei o post
    Beijos

  3. Graciane

    Hebe foi um exemplo de mulher, guerreira, maravilhosa, nada mais justo essa homenagem linda para ela, farei de tudo para assistir!

  4. Luana Souza

    Eu acompanhei um pouco a Hebe quando mais nova, e devo dizer que foi bem triste depois que ela se foi. Encontrar pessoas dispostas a homenageá-la, ainda mais num musical (eu amo musicais!) é incrível, pois acredito que o mundo está precisando de mais empoderamento feminimo. Pelo seu post, parece ser ótimo! É uma pena eu não morar perto de onde está sendo realizado, mas gostaria de ir se tivesse oportunidade 🙂

  5. Daianny Marins

    Estou louca para ir assistir agora, bastante curiosa para falar a verdade. Não sabia do musical, mas é sem duvida bastante interessante, se quando for para SP, ainda estiver em cartaz vou querer assistir, mesmo sendo longe tem tantas peças maravilhosas na cidade que quero assistir todas – sim, eu mesma, a doida do teatro.

  6. Daniela

    Como a vida é cheia de coincidências, assim que soube do musical, fiquei super curiosa se valia ou não a pena, depois da sua “critica” fiquei com mais vontade ainda… Adorei!

  7. Vanessa Santos Freitas

    Fico muito feliz de Hebe Camargo ser um diva que esta sendo exaltada no teatro.para mm mais QUE merecido.

  8. Armariando

    Ansiosa para assistir. Deve ser belíssimo.

Posts relacionados