Tati Aponte

“Hebe, O Musical” fala de uma mulher corajosa e independente, além de ser um resgate da cultura popular brasileira

Entrou em cartaz, no teatro Procópio Ferreira, o espetáculo que conta a vida da apresentadora Hebe Camargo: “Hebe, O Musical”

Baseado no livro de Artur Xexéo e com direção de Miguel Falabella, a trajetória da apresentadora é uma verdadeira viagem de volta ao passado.

Dias antes a estreia, jornalistas, críticos e formadores de opinião lotaram o teatro Procópio Ferreira para a coletiva de imprensa com os responsáveis pelo espetáculo.

Todos queriam saber quais foram as motivações para realizarem esta peça.

“Entretenimento” foi a palavra escolhida pelo diretor Miguel Falabella para descrever o musical.

Artur Xexéo afirmou que o musical narra “os amores de Hebe, e em paralelo, contamos o que ela estava vivendo naquelas épocas”.

Quando perguntaram se o espectador da peça seria predominantemente mais velho, Miguel respondeu queHebe, o Musical” foi feito para todas as faixas etárias.

Foto de divulgação

Dito isso, lá fui eu ao Procópio, em sessão fechada para imprensa e convidados para, finalmente, ver a peça que, nas palavras de Miguel seriam “duas horas de puro deleite“.

E, de fato, o espetáculo é uma delícia.

Foi feito para agradar o povo, este que sempre esteve ao lado de Hebe.

 

A incrível Hebe de Débora Reis

Débora Reis é o nome da atriz que dá a vida a Hebe adulta no palco.

Sem comentários, gente…. Ela está radiante e impecável em seu papel!

Durante todo o tempo é IMPRESSIONANTE como sua voz cantando ou até mesmo falando é idêntica a de Hebe Camargo.

Mas, todos os méritos também à atriz Carol Costa, que faz Hebe na juventude.

O espetáculo foi elaborado com muito cuidado, pois ainda que o primeiro ato seja em preto e branco, conta com muito brilho, figurinos criativos, réplicas de roupas e joias que conseguem transmitir todo luxo e imponência da época de ouro da TV brasileira.

É incrível!

A sensação que temos é que estamos em casa e que a TV está sintonizada no programa da Hebe.

Outros artistas brasileiros aparecem durante o espetáculo, em especial a querida Lolita Rodrigues, que junto com Nair Bello formava com Hebe um trio de amizade inquebrável e sincera.

Quem aí não queria ser amiga deste trio? Eu juro que queria passar uma tarde todinha com estas três!

E Nair Bello?

Bom, conforme a jornalista Maria Luísa Barsanelli, em reportagem do dia 12 de outubro para a Ilustrada, do Jornal Folha de São Paulo, houve um ruído aí na comunicação entre os produtores com os herdeiros de Nair Bello, que não autorizaram o uso no nome da atriz no espetáculo.

Cena apresentada durante a coletiva de imprensa

Daí, Nair Bello ganhou a alcunha de “Hilda”.

Seria impossível contar a vida de Hebe sem abordar a amizade das três, gente.

Era tão divertido vê-las juntas… Recomendo vocês a assistirem a entrevista das três com o Jô Soares (tem no Youtube).

Hebe era corajosa, independente e muito, mas muito feliz!

A peça deixa claro que Hebe sempre foi uma mulher à frente de seu tempo, que fazia o que queria e como queria.

Como disse Miguel, “Hebe já era empoderada a muito tempo atrás”.

Viveu em ambientes machistas, onde apenas artistas homens conseguiam espaço.

Outra fotinho durante a coletiva…

Teve relacionamentos abusivos e mesmo assim nunca perdeu sua essência de garota espoleta, humilde e sonhadora.

E justamente por esta razão, ao contrário do que muitos pensam, sua vida não se resume apenas ao luxo e ao glamour, mas foi uma vida de sonhos e lutas.

Hebe é um exemplo para aquele que deseja, trabalha e alcança. Chora e ri, algumas vezes fica triste, mas a alegria é sempre predominante.

E por fim, esta é a mescla de sentimentos que Miguel Falabella, sua produção e todo o seu elenco conseguiram causar em quem estava assistindo.

E claro, muita saudade.

Beijos!

*Por Gabriela Almeida para o blog Tati Aponte


HEBE O MUSICAL

Teatro Procópio Ferreira (624 lugares)

Rua Augusta, 2.823 – Jardins

Informações: 3083-4475

Vendas: www.ingressorapido.com.br e tel.: 4003-1212.

Abertura da casa: 1 hora antes do início do espetáculo.

Quinta e Sexta às 21h | Sábado às 17h e 21h | Domingo às 18h

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados