Tati Aponte

Fulaninha & Dona Coisa nos leva a rir e refletir sobre a relação patroa X empregada doméstica

Está em cartaz, no Hotel Renaissance, a peça de autoria de Noemi Marinho e direção de Daniel HerzFulaninha & Dona Coisa“.

Já tivemos várias montagens dessa peça.

Entre elas uma dirigida por Marco Nanini em 1991, com Aracy Balabanian (Dona Coisa) e Louise Cardoso (Fulaninha) no elenco.

E ficou quase 7 anos em cartaz!

Elenco, diretor e produtor durante a coletiva de imprensa

Que invejinha de quem assistiu a esta versão,hein? Só gente boa!

Mas a versão que estreou no Renaissance não deixa nada a desejar, não!

No elenco a atriz Nathalia Dill dá vida à Fulaninha, enquanto a atriz Vilma Melo é a Dona Coisa.

A presença masculina no texto é do técnico de telefone Miguel, que se envolve com Fulaninha e é vivido pelo ator Rafael Canedo (nos cinemas com o filme Chocante)

Por que falar de Fulaninha hoje em dia?

Da época em que a peça foi escrita aos dias atuais, houve uma mudança social significativa no Brasil.

A lei das empregadas domésticas praticamente extinguiu uma figura que, por anos, fez parte de quase todas as famílias de classe média do país. A empregada que “dormia no trabalho” era figura presente e quase obrigatória em 9 de 10 casas brasileiras.

Foto de divulgação

E quando Noemi Marinho escreveu “Fulaninha & Dona Coisa” a realidade que se apresentava era esta.

Pôster de divulgação

Era comum que quase todas as famílias tivessem uma Fulaninha dentro de sua casa, aquela moça que era “quase da família” e que podia ser acordada a qualquer momento para limpar ou passar algo para o patrão.

Portanto, o holofote da peça está em cima deste momento da sociedade brasileira.

A PEÇA É UMA COMÉDIA!

Não tem nada a ver com a ótica de crítica social pesada e cheia de ressentimentos (mas muito boa, diga-se de passagem) que está presente no filme “Que Horas Ela Volta” de Ana Muylaert, por exemplo.

Mas, ainda que seja uma comédia, a peça tem momentos de boa reflexão. 

Hoje em dia, Fulaninhas não dormem mais em nossas casas, ganham mais e tem direitos como os demais trabalhadores (ainda bem).

Mas ainda são funcionárias de baixa escolaridade, em sua maioria negras e sem muitas chances como possuem outras mulheres puderam estudar e que não sofrem preconceito racial.

Fulaninhas devem ser sempre faladas, sempre consideradas, até que as injustiças e desigualdades que elas suportam sejam diminuídas.

E que todos possamos ter as mesmas condições.

Por que ASSISTIR Fulaninha & Dona Coisa?

  • Fiquei surpresa com a qualidade dos atores no palco! Vilma é uma atriz fora da curva, venceu o prêmio Shell por sua atuação no musical “Xica da  Silva” e é professora de Teatro, então dispensa maiores apresentações. Mas a Nathalia e o Rafael, que estamos tão acostumados a ver na TV, estão fantásticos. Eles têm ritmo, têm inteligência cênica, têm harmonia…Fiquei feliz em conhecê-los melhor!
  • Inversão do arquétipo da patroa burguesa, que é feito por uma atriz negra, e da empregada doméstica, feito por uma atriz loira de olhos claros é um dos pontos altos da peça;
  • É uma comédia gostosinha, o horário da peça também é super tranquilo então, não fique em casa vendo TV no sábado! Dê um pulinho ao teatro que você não vai se arrepender!
  • Luzes e figurinos são nota MIL!

Por que NÃO ASSISTIR Fulaninha & Dona Coisa

  • Pra mim o que “pegou” foi a inadequação do texto aos dias atuais. EU SEI QUE A PEÇA ESTÁ SITUADA EM 1988, época que foi escrita, mas ainda assim achei que se houvesse uma releitura do texto, certamente a peça seria mais interessante.

Mas é só isso, no geral eu me matei de rir, Vilma tem um brilho maravilhoso e um dedo para a comédia muito bom, assim como Nathalia e Rafael.

É legal, gente…

Um programa bem legal pra fazer sábado a noite! E a peça acaba cedinho….dá pra emendar um jantar em seguida ou qualquer outro programa que São Paulo oferece.

Super beijo!


Teatro Renaissance

Endereço: Alameda Santos, 2233 – Jardim Paulista, São Paulo – SP, 01419-002
Temporada: 30 de Setembro a 29 de Outubro de 2017
Horário: Sábados às 19h00 / Domingo às 20h00

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados