Tati Aponte

Retrospectiva de Jean-Michel Basquiat no CCBB – SP está IMPERDÍVEL

Sem título (© The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York./Divulgação)

Você conhece Jean-Michel Basquiat ?

Sabe por que ele é considerado um dos mais importantes artistas da segunda metade do século XX?

Se não, vamos as apresentações:

Jean-Michel Basquiat (1960-1988) foi um artista norte americano, de ascendência afro-caribenha e que retratou o caráter de Nova Iorque dos anos 70/80.

Os anos 70/80 da Big Apple foram bem interessantes.

Metrô de Nova York no fim da década de 70

Nova Iorque vivia uma mistura de empolgação e decadência.

A medida que passava por um colapso econômico, uma nova geração de artistas viu nesse momento um estímulo para criar.

E assim, deram corpo a um estilo de manifestação artística bem particular.

A quem diga que hoje, no Brasil, estamos vivendo o que Nova Iorque viveu naquela época.

Será?

Basquiat e a arte urbana

Basquiat viveu intensamente este momento de efervescência artística: viu o nascimento das discotecas, do punk, do rap, do hip hop e da

Retrospectiva de Jean – Michel Basquiat no CCBB-SP

cultura do grafite.

Estas artes buscam conscientizar, com inteligência, sobre os problemas que a sociedade enfrenta, como a pobreza e a miséria.

Muitas vezes, a maneira do artista se manifestar diz sobre como ele vê o mundo, e não da classe social que ele pertence.

Ainda que a pobreza não atinja o artista de maneira direta, ele pode se preocupar e inclusive, se angustiar com esta condição.

Seu protesto virá com a sua criação.

Eu faço aqui este comentário, pois muitas pessoas ficam com “ranço” de alguns artistas por acharem que, porque o fulano tem dinheiro, ou morar em outro país, ele não pode se compadecer com a injustiça alheia, e isso não é verdade.

Do racismo ao trinfo no mercado da arte

Basquiat era negro, mas nunca foi pobre.

Estudou em escola particular e sempre teve sua curiosidade artística respeitada e estimulada pelos seus pais, que o levavam a museus, ensinavam francês e

espanhol, apresentaram o jazz e outras artes refinadas.

Apesar de ter tais incentivos, Basquiat não passou incólume ao racismo e preconceito.

Tampouco ignorou as injustiças e violências que via acontecer com a comunidade negra americana.

Sua arte que representa, também, a raiva que sentia.

Pra saber mais, vá visitar o Centro Cultural Banco do Brasil – SP

Bom, foi só uma breve introdução de quem foi o artista, pois só vendo sua arte você entenderá a sua dimensão.

Eu adorei a exposição, está linda e são 80 obras do artista pra você mergulhar fundo.

A entrada é gratuita e recomendo chegar cedinho, pra evitar filas.

Minha dica? Vá durante a semana!

Certamente estará lotado tanto sábado quanto domingo.

É isso!!

Aproveitem!

Informações

Serviço CCBB São Paulo

Datas de exposição: De quarta-feira a segunda-feira

Horário: Das 9h às 21h.

Endereço: Álvares Penteado, 112, no Centro.

Preço: Entrada gratuita

Até 07 de abril!

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados