Tati Aponte

“Era o Hotel Cambridge” mostra uma São Paulo ignorada e distante

Várias situações me motivaram a criar este blog, mas a principal causa foi poder falar de cinema brasileiro com os leitores como se eu estivesse sentada na mesa de um bar com bons amigos.

A minha intenção é estimular o público a assistir e a valorizar nossos filmes.

E por que o estímulo é necessário? Porque ainda que estejamos caminhando a passos largos, os resultados ainda deixam muito a desejar.

Poucos filmes ficam por mais de um mês nas salas de cinema, e logo somos substituídos por filmes estrangeiros que, certamente, vão rentabilizar mais que os nossos longas.

Eu sei que nem tudo que é produzido é uma super obra de arte, e nem teria como ser.

Não se produz dezTropa de Elite“, “Aquarius“, “O Cheiro do Ralo“, “Carandiru“, “Os Dois Filhos de Francisco“, “Cidade de Deus“, “Que Horas Ela Volta“, “Central do Brasil“, “Abril Despedaçado“, “Xica da Silva” por ano.

Estes filmes surgem aos poucos.

Para cada UM filme bom, temos uns TRINTA filmes mais ou menos ou ruins sendo lançados.

E a dinâmica produtiva é assim mesmo, seja aqui ou em qualquer outro país que tenha uma produção cultural relevante.

O esnobismo dos intelectuais

Daí alguém pode perguntar: E “Dois Filhos de Francisco” por acaso é um filme bom? E eu te respondo: Sim, e muito! É um filme comercial, que conta a história de uma dupla sertaneja, que retrata muito bem o Brasil e que é BOM!

Os filmes BONS e não comerciais geralmente são cultuados por pessoas que não têm nenhum interesse em divulgá-los.

E este é o resultado de uma polarização besta que existe entre esnobes e populistas, que não conversam entre si.

Se você fala que gosta de um filme mais comercial, você logo é taxado de superficial.

E se você gosta de um filme de arte, sofre o risco de ser considerado pedante.

Por incrível que pareça, na maioria das vezes, são os mais intelectualizados que segmentam a cultura dando a ela uma áurea de inatingível, de difícil compreensão, algo sério, complicado e sem diversão.

É imprescindível parar com isso! Pelo bem da nossa própria sociedade!

Enquanto boa parte da população tiver medo e não se sentir apta para consumir cultura, o fosso social aumentará e a culpa será sua, nobre amigo formado em boa faculdade que quer se mostrar intelectualizado pra cima de gente que não teve a mesma oportunidade que você.

Por isso hoje eu quero falar de um filme que é muito conhecido pela galera mais “cult” (detesto esta palavra e coloquei aqui pra ser irônica mesmo) e que eu acho um absurdo deixá-lo restrito às grandes rodas intelectuais.

Trata-se do filme Era o Hotel Cambridge de Eliane Caffé.

O filme narra o cotidiano de refugiados estrangeiros que buscam abrigo no Hotel Cambridge, antigo hotel de luxo que fica no centro de São Paulo

Era o Hotel Cambridge fala sobre a ocupação de espaços abandonados e como vivem os refugiados  no Brasil

Eliane Caffé, diretora e roteirista do filme, mescla atores com personagens reais em Era o Hotel Cambridge.

Por isso, em alguns momentos não sabemos se estamos diante de um filme de ficção ou se o que vemos é a realidade mesmo.

Já por esta ousadia o filme merece todo o nosso respeito e reconhecimento.

O filme conta a história de moradores sem-teto que ocupam um prédio abandonado em São Paulo e que vivem diante da ameaça de despejo pelas forças do Estado.

A diretora lança um holofote especial sobre os refugiados que moram lá junto com os sem tetos.

É MUITO interessante ouvir os relatos destas pessoas que saíram de seus países para recomeçarem aqui no Brasil.

Não é fácil deixar a sua casa, sua língua, sua comida, sua família, amigos e emprego apenas para permanecer vivo.

O filme também conta sobre a ocupação de espaços abandonados – VALE MUITO A PENA CONHECER ESTE DEBATE! Mesmo se você tiver opinião contrária, assista!

E, por fim, o filme mostra a onda de ódio vinda da internet e que muitas vezes atinge a população mais carente.

Através de uma página na internet, o longa mostra fotos de refugiados felizes acompanhadas de depoimentos fascistas de haters. Muito mas muito pesado!

Por que você DEVE assistir Era o Hotel Cambridge?

Você não vai sair deste filme felizão e dando estrelinha por aí, mas se você se questionar sobre os temas abordados, tenho certeza que você é uma pessoa especial, com sensibilidade e que acredita que podemos fazer deste um mundo melhor.

Podemos todos conviver no mesmo espaço, afastando preconceitos e preservando a independência de julgamento, pois isso enriquece a nossa alma.

Pelo bem de vocês mesmos, assistam a este filme.

Beijos!

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados