Tati Aponte

“Era o Hotel Cambridge” mostra uma São Paulo ignorada e distante

Várias situações me motivaram a criar este blog, mas a principal causa foi poder falar de cinema brasileiro com os leitores como se eu estivesse sentada na mesa de um bar com bons amigos.

A minha intenção é estimular o público a assistir e a valorizar nossos filmes.

E por que o estímulo é necessário? Porque ainda que estejamos caminhando a passos largos, os resultados ainda deixam muito a desejar.

Poucos filmes ficam por mais de um mês nas salas de cinema, e logo somos substituídos por filmes estrangeiros que, certamente, vão rentabilizar mais que os nossos longas.

Eu sei que nem tudo que é produzido é uma super obra de arte, e nem teria como ser.

Não se produz dezTropa de Elite“, “Aquarius“, “O Cheiro do Ralo“, “Carandiru“, “Os Dois Filhos de Francisco“, “Cidade de Deus“, “Que Horas Ela Volta“, “Central do Brasil“, “Abril Despedaçado“, “Xica da Silva” por ano.

Estes filmes surgem aos poucos.

Para cada UM filme bom, temos uns TRINTA filmes mais ou menos ou ruins sendo lançados.

E a dinâmica produtiva é assim mesmo, seja aqui ou em qualquer outro país que tenha uma produção cultural relevante.

O esnobismo dos intelectuais

Daí alguém pode perguntar: E “Dois Filhos de Francisco” por acaso é um filme bom? E eu te respondo: Sim, e muito! É um filme comercial, que conta a história de uma dupla sertaneja, que retrata muito bem o Brasil e que é BOM!

Os filmes BONS e não comerciais geralmente são cultuados por pessoas que não têm nenhum interesse em divulgá-los.

E este é o resultado de uma polarização besta que existe entre esnobes e populistas, que não conversam entre si.

Se você fala que gosta de um filme mais comercial, você logo é taxado de superficial.

E se você gosta de um filme de arte, sofre o risco de ser considerado pedante.

Por incrível que pareça, na maioria das vezes, são os mais intelectualizados que segmentam a cultura dando a ela uma áurea de inatingível, de difícil compreensão, algo sério, complicado e sem diversão.

É imprescindível parar com isso! Pelo bem da nossa própria sociedade!

Enquanto boa parte da população tiver medo e não se sentir apta para consumir cultura, o fosso social aumentará e a culpa será sua, nobre amigo formado em boa faculdade que quer se mostrar intelectualizado pra cima de gente que não teve a mesma oportunidade que você.

Por isso hoje eu quero falar de um filme que é muito conhecido pela galera mais “cult” (detesto esta palavra e coloquei aqui pra ser irônica mesmo) e que eu acho um absurdo deixá-lo restrito às grandes rodas intelectuais.

Trata-se do filme Era o Hotel Cambridge de Eliane Caffé.

O filme narra o cotidiano de refugiados estrangeiros que buscam abrigo no Hotel Cambridge, antigo hotel de luxo que fica no centro de São Paulo

Era o Hotel Cambridge fala sobre a ocupação de espaços abandonados e como vivem os refugiados  no Brasil

Eliane Caffé, diretora e roteirista do filme, mescla atores com personagens reais em Era o Hotel Cambridge.

Por isso, em alguns momentos não sabemos se estamos diante de um filme de ficção ou se o que vemos é a realidade mesmo.

Já por esta ousadia o filme merece todo o nosso respeito e reconhecimento.

O filme conta a história de moradores sem-teto que ocupam um prédio abandonado em São Paulo e que vivem diante da ameaça de despejo pelas forças do Estado.

A diretora lança um holofote especial sobre os refugiados que moram lá junto com os sem tetos.

É MUITO interessante ouvir os relatos destas pessoas que saíram de seus países para recomeçarem aqui no Brasil.

Não é fácil deixar a sua casa, sua língua, sua comida, sua família, amigos e emprego apenas para permanecer vivo.

O filme também conta sobre a ocupação de espaços abandonados – VALE MUITO A PENA CONHECER ESTE DEBATE! Mesmo se você tiver opinião contrária, assista!

E, por fim, o filme mostra a onda de ódio vinda da internet e que muitas vezes atinge a população mais carente.

Através de uma página na internet, o longa mostra fotos de refugiados felizes acompanhadas de depoimentos fascistas de haters. Muito mas muito pesado!

Por que você DEVE assistir Era o Hotel Cambridge?

Você não vai sair deste filme felizão e dando estrelinha por aí, mas se você se questionar sobre os temas abordados, tenho certeza que você é uma pessoa especial, com sensibilidade e que acredita que podemos fazer deste um mundo melhor.

Podemos todos conviver no mesmo espaço, afastando preconceitos e preservando a independência de julgamento, pois isso enriquece a nossa alma.

Pelo bem de vocês mesmos, assistam a este filme.

Beijos!

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 Comentários:
  1. Lorena M.

    Realmente, parece (ao meu ver) que se valoriza muito mais as produções estrangeiras do que as nacionais. Não só na área cinematográfica, mas em todas que envolvem produção cultural: música, literatura… Amei a indicação e verei assim que possível.

  2. Livia Pinheiro

    Não sabia desse filme e gostei da sua resenha. Vou procurar para assistir. valeu pela dica.

  3. Ariele Alessandra

    Não conhecia este filme, já fiquei curiosa para assistir, me parece ser bem interessante! Obrigada por compartilhar bjss

  4. Graciane

    Muito boa a resenha, não sou muito fã de filmes nacionais, mas esse fiquei com vontade de assistir…

  5. Mariana Rosa

    Nunca tinha ouvido falar sobre. Vou procurar assistir. Obrigada e parabéns pelo post <3

  6. Júlia Lima

    Investimento e valorização nesse filme é o que parece não faltar. As pessoas que atuam parecem ser ótimas. Não conhecia o filme ainda, vou tentar assistir e tirar minhas conclusões. Beijos, sucesso

  7. Gabiss

    Eu particularmente não curto filmes brasileiros são poucos os que eu gosto, talvez seja errado pode ser que sim mas tem filme brasileiro que quando assisto sinto vergonha por cada coisa que vejo, sem falar que a maior tem putaria, drogas, bebidas e por ai vai o que o torna ainda mais constrangedor afinal não cou chamar minha mae para assistir um filme assim minha vo ou minha irma pequena menos ainda o enredo brasileiro precisa enriquecer de espírito e aprender que não e só nudes e drogas que vende ! Esse filme que resenhou não conhecia mas achei sua resenha interessante provavelmente darei uma chance a ele !

    • tatiaponte

      Olá Gabis, tudo bem?
      Olha, eu juro que aceitaria seus argumentos se estivéssemos conversando em 1999, mas não em 2017.
      Há tempos, graças a Deus, nossos filmes não utilizam destes recursos para se estabelecerem. Veja o exemplo que falei, sobre os Dois Filhos de Francisco, um filme que vc poderia assistir tranquilamente com toda sua família, assim como “Deus é Brasileiro”, “Nosso Lar”, “Carrossel 1”, “Carrossel 2”, “Mais Forte Que o Mundo”, “Um Namorado para Minha Mulher”. Tem um filme que foi lançado este ano que é mega tranquilo e super atual, chama “Amor.Com”, não tem cena de sexo ou drogas, e fez uma super bilheteria fora do Brasil, mas que aqui não teve bom mercado pq o público não foi ao cinema.
      Concordo que os filmes que acabam fazendo mais barulho são aqueles que usam destes recursos, pois eles objetivam os festivais, daí tem q falar de Brasilzão. Mas se vc conhecer outros filmes mais tranquilos, tenho ctza q vc verá mta coisa boa!
      Pelo seu ponto de vista, não sei se vc vai curtir “Era o Hotel Cambridge”, talvez seja melhor começar com um filme mais tranquilo e ir aprofundando em outros longas.
      Beijão!

  8. Júlia Werdan

    Verdade,nós brasileiros temos esse defeito de menosprezar as coisas nacionais, principalmente quando se trata de filmes, cara tropa de elite, minha mãe é uma peça,até que a sorte nos separe… São filmes bons, fora muitos outros que foram lançados, temos que aprender a quebrar essa”cultura” de menosprezar o que é de casa

  9. Keli Macedo

    Olá, sempre estou procurando filmes nacionais, gosto muito, esse ouvi falar uma vez só mais por alto, gostei bastante do seu relato, vou procurar. Beijos

  10. Ingrid Raggio

    Não sabia desse filme.. Tem vezes que eu percebo que o Brasil não da tanto valor para os filmes brasileiros, pq nao vi divulgaçao

  11. Lidiane Malheiros

    Gostei muito da sua resenha. Confesso que não sou muito admiradora do cinema brasileiro. Fiquei com vontade de assistir.

  12. Minda Silva

    Um post interessante com uma abordagem que ainda não tinha lido entre os blogs onde concordo que devemos valorizar a nossa arte como num todo e sim gostaria de poder ver esse filme, pois sua resenha sobre ele me deixou bem curiosa

    Bjs (•_•)

  13. Daianny Marins

    Sem duvida esse final de semana, esse filme parece ser simplesmente maravilhoso, principalmente porque quero ter algo mais forte com a cultura brasileira algo que tantas pessoas simplesmente ignoram e veneram filmes, livros, musica apenas estadunidenses e apenas desse país e rejeitam tantas coisas ótimas apenas por serem nacionais. Sem duvida alguma vou assistir.

  14. Ariane Eleuterio

    Tati eu amei demais tudo o que falou, as pessoas não tem costume de valorizar as coisas do próprio país, só o que vem de fora que é bom. Sempre gostei muito dos filmes nacionais, mas uma coisa que me incomoda é que a grande maioria dos filmes brasileiros tem exploração sexual, mostra mulher nua e isso me entristece, pois a imagem que é vendida do país é esta.

    Gostei da dica e vou assistir ao filme.

    Beijos

  15. Amanda Trindade

    Ola, tudo bem?
    É…parece ser um filme muito interessante, com um grande aprendizado humano, vou assistir. Agradeço a dica!

    Abraços!

  16. Beatriz Almeida sobrinho

    Adorei sua iniciativa de trazer os filmes nacionais para nós! Ainda não conhecia esse filme, e adorei sua resenha, bem interessante! Abraços

  17. Ana Crisinah

    Achei super interessante a proposta do filme e não fazia ideia da existência do mesmo, mas devo admitir que fiquei curiosa, vou procurar para estar assistindo. Obrigada pela indicação. ;D

    Beijos!
    Ana Crisinah
    Youtube Ana Crisinah

  18. Mari

    O filme parece ser muito interessante, até porque traz para a reflexão temas bem atuais. Vou procurar assistir.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

  19. Eliziane Dias

    Caraca! Estou sem palavras!
    Na verdade pela iniciativa do blog e pelo conteúdo do filme.
    Eu tenho fugido um pouco de gêneros dramáticos seja em livros ou filmes, mas este conteúdo me comoveu bastante, por ser uma temática que me interessa muito.
    Li algumas críticas de alguns filmes produzidos na Espanha e o que me pareceu é que os espanhóis têm a mesma resistência à filmes produzidos no país tanto quanto nós brasileiros.
    Na verdade, as grandes produções Hollywoodianas é que são mais bem divulgadas, mais assistidas e mais aclamadas pela maioria dos brasileiros.
    Se você for comentar sobre filmes franceses, espanhois ou turcos, por exemplo, é como se você estivesse falando grego. rsrs
    Porque pouquísssimas pessoas assistem.
    Na verdade, só assistem esses filmes distintos do gosto da maioria, quem gosta de cinema de verdade e quem curte boas histórias.
    Enfim… Adorei seus argumentos e sua postagem!
    Sucesso!

  20. Daniele Vieira

    Olá
    Bem interessante sua observação sobre o cinema, eu tenho um pouco de problema com o cinema nacional pois não gosto nem de Comédias nem grandes Dramas, que é o que parece que o brasileiro mais gosta de fazer, mas quando aparece algo mais policial como Tropa de Elite aí procuro assistir, mas só vou ao cinema quando é Terror, e terror é algo difícil de ver por aqui, e quando sai um como O Rastro não vem para minha cidade.

Posts relacionados