Tati Aponte

Chacrinha – O Velho Guerreiro

Um dos problemas que a televisão possui é que ela não cria memória no público.

Chacrinha e Chacretes Crédito: Foto de divulgação

Sua programação é feita para o consumo imediato, satisfazendo a necessidade momentânea da audiência.

Por isso, grandes nomes da TV do passado são esquecidos e, ainda que tenham sido fundamentais para consolidação da Tv brasileira, sequer são lembrados pela população.

 

Abelardo Barbosa, o Chacrinha, é uma dessas figuras que merecem todo nosso reconhecimento.

A cinebiografia da Conspiração Filmes é uma feliz homenagem ao Velho Guerreiro.

Chacrinha sabia onde queria chegar.

O começo do filme é rápido e introdutório, nos apresenta um rapaz jovem com ambição de ingressar no mundo da comunicação.

Abelardo (Eduardo Sterblich) está bordo de um barco rumo a Europa.

Eduardo Sterblich é Chacrinha Crédito: Foto de divulgação

Baterista de uma banda que toca no navio, ele sonha entrar no mundo do showbusiness.

Impossibilitado de seguir a viagem por causa da guerra que acaba de eclodir, o navio retorna ao Brasil e faz uma escala no Rio de Janeiro antes de retornar à Recife.

Abelardo desembarca para ficar de vez na cidade maravilhosa e buscar um emprego na rádio.

“Se o povo não vai ao cassino, o cassino vai até o povo”

Você tem que ver o filme para entender como o empenho do comunicador foi fundamental para seu reconhecimento.

No entanto, gostaria de destacar o que é o diferencial de Chacrinha com os demais comunicadores – Ele era popular e sabia disso.

Não quis fazer nada rebuscado, quis dar uma cara brasileira e popular ao seu programa.

Ao colocar músicas de carnaval e criar um ambiente de festa em seu programa, um cassino, fez a diferença essencial para sua carreira deslanchar.

Eduardo Sterblich esta bem no papel do Chacrinha no inicio da carreira.

Alguns trejeitos ( como prender o ombro rente ao rosto) me incomodaram um pouco, mas nada que estrague a atuação.

Comediante por vocação, Sterblich ganhou um presentão ter a honra de fazer Chacrinha nos cinemas.

Chacrinha: O futuro é a televisão.

A Rede Globo estava nos primórdios, ainda se consolidando como emissora.

Precisando de um comunicador que fizesse frente ao fenômeno Flavio Cavalcanti, Boni contratou Chacrinha.

Gianne Albertoni é Elke Maravilha e Stepan Nercessian é Chacrinha Crédito: Foto de divulgação

Ao aceitar o convite ele aceita, também, um desafio: sair do ambiente seguro na rádio para apostar na novata televisão.

Ele entende que a TV é o futuro, abandonando de vez o ambiente da rádio.

Chacrinha “maduro” é representado por Stepan Nercessian (que está IGUAL ao Velho Guerreiro)!

A partir daí o filme embala.

Stepan dá vida ao filme, dá cadência, da emoção e estrutura o comunicador tal como ele era.

O filme não é chapa branca! Mostra o gênio difícil de Chacrinha, sua profunda dedicação ao trabalho em detrimento de uma vida familiar ausente, a interferência que fazia na produção dos programas, a tristeza com o acidente do filho e um possível envolvimento amoroso com Clara Nunes (Laila Garinque eu nunca tinha ouvido falar!

Todos os desdobramentos da carreira do artista são mostrados e emocionam, ao mesmo tempo que espanta.

O lado austero e grosso do apresentador choca um pouco.

Mas também nos proporciona muitas boas gargalhadas.

Vale a pena assistir “Chacrinha – O Velho Guerreiro”?

É um filme bom.

Crédito: Foto de divulgação

Pra quem gosta de saber um pouco mais da nossa história da comunicação, ele é fundamental.

Um bom programa pra se divertir! Eu curti!

Falem depois o que acharam, tá?

Beijocas!

 

Summary
Review Date
Reviewed Item
Chacrinha - O Velho Guerreiro
Author Rating
31star1star1stargraygray

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados