Tati Aponte

“Beijo no Asfalto”ganha nova versão cinematográfica com a direção de Murilo Benício

Concordo com o diretor do filme “O Beijo no Asfalto“, entendo o primeiro filme de Murilo Benício  uma fusão entre cinema e teatro.

Foto: Divulgação

Augusto Madeira é o Delegado Cunha em “O Beijo no Asfalto”

Não só por escolher um texto clássico da dramaturgia brasileira.

Afinal, não é incomum ver peças de teatro adaptadas em versões cinematográficas, como:

  • Um Bonde Chamado Desejo,
  • A Morte do Caixeiro Viajante,
  • Num Lago Dourado,
  • Auto da Compadecida,
  • Dois Perdidos Numa Noite Suja,
  • O Pagador de Promessas,
  • A Partilha,
  • etc…

Mas o filme de Murilo Benício é diferente destes que mencionei.

Em “O Beijo no Asfalto” o diretor não se preocupa, apenas, em contar a história do afamado beijo de Arandir no rapaz que acaba de ser atropelado na Avenida Presidente Vargas.

Além da história de Nelson Rodrigues, Murilo Benício colocou em primeiro plano o ofício do ator.

Ou seja, os bastidores também são trazidos à superfície, mas não como se fosse um making off.

Todo o processo da criação teatral é mostrado ao público com a mesma importância que a história de “O Beijo no Asfalto” possui.

Acreditem, o resultado deste filme não poderia ser mais positivo!

Debora Falabella, Fernanda Montenegro e Luisa Tizo em cena de “O Beijo no Asfalto”

Do que se trata “O Beijo no Asfalto”?

Vamos lá!

Pra quem não sabe, “O Beijo no Asfalto” conta a história de Arandir (Lázaro Ramos), um bancário recém-casado com Selminha (Debora Falabela) que presencia um atropelamento .

Ele tenta socorrer a vítima, mas o homem, quase morto, só tem tempo de realizar um último pedido: um beijo.

Arandir beija o homem, mas seu ato é flagrado por seu sogro Aprígio (Stênio Garcia) e fotografado por Amado Ribeiro (Otávio Müller), um repórter policial sensacionalista.

Com o objetivo de criar uma notícia falsa para vender mais jornal e, assim, ganhar mais dinheiro, Amado se une ao delegado Cunha (Augusto Madeira) para por seu plano em ação.

A partir daí, uma trama cheia de mentiras é criada, transformando a vida de Arandir e de todos que o cercam em um inferno sem precedentes.

O desfecho de “O Beijo no Asfalto” é tipicamente de uma tragédia rodriguiana.

Devo assistir “O Beijo no Asfalto”?

Não restam dúvidas que estamos diante de um filme diferenciado.

Para aqueles que gostam das histórias de Nelson Rodrigues o filme é excelente.

Eu recomendo, em especial, que o filme seja visto por atores e para todos aqueles que estão estudando para serem atores profissionais.

O filme é muito bom!


Ficha Técnica

Direção e roteiro: Murilo Benício
Elenco: Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos, Débora Falabella, Augusto Madeira, Otávio Müller, Luiza Tiso, Amir Hadad, Stênio Garcia, Raquel Fabri, Marcelo Flores e Arlindo Lopes.
Ney Matogrosso – Participação na canção “A vida é ruim”, de Caetano Veloso
Produção: Marcello Ludwig Maia e Murilo Benício
Fotografia e Câmera: Walter Carvalho
Direção de Arte: Tiago Marques Teixeira
Montagem: Pablo Ribeiro
Trilha: Berna Ceppas
Edição de Som: Denilson L. Campos
Som direto:  Marcel Costa
Figurino: Valeria Stefani
Maquiagem: Gabriela Figueira
Direção de produção: Barbara Isabella Rocha
Produção- executiva: Marcello Ludwig Maia

Summary
Review Date
Reviewed Item
O Beijo no Asfalto
Author Rating
41star1star1star1stargray

COMPARTILHE

Os comentários estão fechados.

Posts relacionados